A mão de Deus

/
3 Comments

A Bíblia em um ano:
Jeremias 33-35


Imagem: Google.


“Pois esse é o propósito do Senhor dos Exércitos; quem pode impedi-lo? Sua mão está estendida; quem pode fazê-la recuar?”
Isaías 14.27

  
Que tamanho tem a mão do Senhor?

Não responda tão rápido, pois Deus não é tão óbvio quanto parece. A Bíblia nos dá algumas dicas, e por elas chegamos a dimensões extraordinárias, inimagináveis, que para muitos não passam de poesias e devaneios, mas para os filhos de Deus são relatos sobre a existência de um ser cuja glória, imensidão e poder não se podem contar com palavras.

A mão de Deus é grande o suficiente para envolver a terra, como uma criança que segura com afinco uma bolinha de gude (Isaías 48.13). É poderosa bastante para colher as águas do oceano como uma concha, e medi-las como se fossem a medida de uma receita culinária. E é forte o necessário para colocar os montes na Sua palma e pesá-los como se segurasse alguns grãos de areia (Isaías 40.12).

Essa é a mão de Deus. Ela colocou cada estrela num lugar específico do espaço. Nós vemos uma delas pelo telescópio e ficamos fascinados. Deus vê todas ao mesmo tempo e Sua mão as manipula quando e como bem quer. Os zilhões e zilhões de estrelas do universo estão a Seu dispor, como uma tropa em guarda à espera das ordens do seu general. “Ergam os olhos e olhem para as alturas. Quem criou tudo isso? Aquele que põe em marcha cada estrela do Seu exército celestial, e a todas chama pelo nome. Tão grande é o Seu poder e tão imensa a Sua força, que nenhuma delas deixa de comparecer!” (Isaías 40.26)

O Senhor Deus é o dono da mão que “estende os céus como um forro e os arma como uma tenda para neles habitar” (Isaías 40.22). A mão que com um palmo delimita o firmamento (Isaías 40.12) como se ele fosse do tamanho da capa da nossa Bíblia. Sua mão desenhou os limites do mar e dos continentes como nós rascunhamos uma flor num pedaço qualquer de papel (Salmos 95.4-5).

Essa mão é a mesma que corta tanto a cabeça (autoridades e homens em destaque) como a cauda (profetas que ensinam mentiras) das nações (Isaías 14-16), e é a mesma mão que arranca o mal pela sua raiz, segura a serpente que se arma para dar o bote. É a mão que fixa um freio nas bocas dos escarnecedores, põe um anzol nas fuças dos opressores, e arrasta-os envergonhados diante dos olhos que crêem e buscam socorro na glória do Todo Poderoso (Isaías 37.29,34).

Essa é a mão que segura “as chaves da morte e do inferno” (Apocalipse 1.18), e o faz com a mesma facilidade com que nós seguramos as chaves da nossa casa.

A mão de Deus tem muito mais que todo esse poder e essa glória. Mas não Se contém com isso. Ela também aponta para óvulos ainda não fecundados e declara: “Eu te escolhi” (Jeremias 1.5). Olha para vidas ainda informes no ventre e avisa: “Eu te conheço e sei quantos serão os dias da sua vida” (Salmos 139.15-16).

E essa mão se movimenta sobre nós, fornecendo sombra e proteção para o nosso caminho, apontando a direção correta, afastando os inimigos, amortecendo nossas quedas e nos segurando para evitar outras. (Isaías 41.10)

Essa é a mão que nos afaga em momentos de dores, que ergue o pincel da graça em riste e dá aos nossos dias cinzentos vivas cores (Salmos 63.8; 94.17). É a mão que toca as feridas e as trata com bálsamo puro de amor e de compaixão (Salmos 147.3). É a mesma que enxuga o nosso pranto (Salmos 56.8), nos leva com segurança na caminhada, nos receberá nos portões da Eternidade e nos conduzirá para dentro do Palácio do Rei.

A mão que formou o universo é a mesma que nos acena chamando para uma vida com sentido, uma vida de valor. Essa é a mão que se estende hoje em nossa direção e serve-nos como ponte para um dia de paz, de consolo, de direcionamento. Um dia em que teremos coragem de fazer o que precisamos. Um dia em que teremos sabedoria para lidar com os dilemas que surgem. Um dia em que o mal não nos oprimirá outra vez.

Porque a divina mão de Deus não tem limites em sua dimensão, nem é mensurável a sua força, e mesmo assim é suave e alcança com total precisão mesmo os cantinhos mais ínfimos do nosso ser.




Você também pode gostar...

3 comentários:

  1. Eita DEUS tremendo e grandioso, igual a Esse não existiu, não existe, e jamais existira!
    Exaltado, e glorificado seja sempre o SENHOR JESUS!

    ResponderExcluir
  2. Que honra para nós é sermos aceitos por esse Deus, heim, Matheus?!

    §^;^§

    ECC

    ResponderExcluir