22 de outubro de 2011

Seja feita a Tua vontade!

A Bíblia em um ano
Isaías 65-66
1Timóteo 2




“Pai, se queres, afasta de Mim este cálice; contudo, não seja feita a Minha vontade, mas a Tua.”
Lucas 22.42


Você está preparado para continuar glorificando ao Senhor mesmo se Ele não atender ao desejo do seu coração?

Noé estava. Mesmo sendo desprezado, ridicularizado e humilhado pelos incrédulos do seu tempo por causa do seu amor e dedicação ao chamado do Senhor, ele permaneceu firme no seu propósito de realizar o projeto extravagante de Deus, e construiu a arca para garantir a procriação das espécies e do ser humano após o dilúvio.

Davi estava. E mesmo tendo o Senhor permitido a morte do seu filho, ainda que Davi tenha clamado várias vezes pela sua vida, este homem continuou adorando ao Senhor com todo o seu coração e servindo-O até o fim dos seus dias com dedicação e fidelidade.

Jesus também estava. E mesmo não tendo sido atendido por Deus quando pediu ao Pai para não beber do cálice da Sua ira, seguiu em comunhão com o Senhor rumo ao calvário, confiante e determinado a glorificar a Deus trazendo a salvação ao mundo.

Jeremias também estava preparado. E mesmo tendo clamado tantas vezes em favor de Israel, o Senhor permitiu aquela nação rebelde permanecer no cativeiro por muitos anos. Nem por isso, ele deixou de honrar ao Senhor, de reconhecer que Seu amor era o motivo de não sermos consumidos, e de ser grato a Ele por Suas misericórdias, que se renovam a cada manhã e jamais têm fim.

Paulo também estava disposto. E mesmo tendo sido forçado a muito trabalho, encarcerado, açoitado, exposto à morte, golpeado com varas por três vezes, apedrejado uma vez, mesmo tendo sofrido naufrágio por outras três vezes, passado uma noite e um dia exposto à fúria do mar, viajando de uma parte a outra, enfrentando perigos nas cidades e nos desertos, perigos no mar e entre irmãos, mesmo depois de ter ficado sem dormir, passado fome e sede, de ter suportado frio e nudez, além do espinho na carne sobre o qual por três vezes implorou a Deus que lhe tirasse mas não foi atendido, mesmo com tudo isso, Paulo não deixou de cumprir sua missão de evangelizar o mundo e de se tornar um referencial de cristão fiel ao Senhor.

E tantos outros nomes poderíamos citar, que estavam preparados para glorificar o Senhor mesmo quando Ele não atendesse ao desejo dos seus corações, e que nos servem de exemplos quando nas adversidades da vida ou no silêncio de Deus.

Juntas, esses guerreiros somam um pequeno grupo de fiéis adoradores do Senhor e marcaram todas as gerações futuras às suas, pelo conhecimento que deles temos. Será que estamos caminhando para fazer o mesmo? Será que nossas atitudes revelam em nós fiéis adoradores de Cristo, mesmo quando Ele nos diz “não”?

Infelizmente, viver o amor que pregamos e a submissão ao Senhor tem sido algo mais difícil de agüentar que a dor, o perigo, a morte do corpo. É certo que o efeito imediato da presença do Senhor em nossas vidas, frequentemente é o conflito. Mas o efeito final é a reconciliação e a paz eterna.

E quando nós provamos ao Senhor que estamos preparados para permanecermos fiéis e adorando a Ele em qualquer circunstância de nossas vidas, então é que estaremos preparados também para irmos morar com Ele no Céu.